30 de outubro de 2008

Inverno

Ele a viu entre palavras de um novo inverno, sob a luz de mundos diferentes, dizendo ser surpresa tal pintura de reflexos dourados ser possível à noite, quando o dia apenas induzia à cor. Assim, foi latente em seu silêncio aquele momento em tons de rosa do seu todo e dos mundos que, agora, já pareciam iguais.

3 comentários:

Diego de Menezes Dourado disse...

Ô Carmem, não sei muito o que dizer... Por enquanto, só sei que gostei.

Carmem Salazar disse...

Diego... Que tu passes por aqui, gostando ou não, já é muito legal!

Abraço, querido.

Carmem Salazar disse...

Ah, eu também não sei bem o que dizer...rs.