9 de maio de 2010

Martha Medeiros


Para minha mãe, Francisca.


para a mãe que desabrocha, rosa
para a mãe que bem-me-quer, margarida
para a mãe que gosta de champanhe, tulipa
para a mãe que gosta de orquestra, orquídea
para a mãe que é um violão, violeta
para a mãe que não dorme, girassol
para a mãe que trabalha, sempre-viva
para a mãe que defende, boca-de-leão
para a mãe que é linda, lírios
para a mãe que gera, gerânios
para a mãe que ama, amor-perfeito


CARTAS EXTRAVIADAS e outros poemas - L&PM, 2010.

10 comentários:

Fouad Talal disse...

para a mãe que se atrasa, onze horas

bjo!

Carmem Salazar disse...

é, faltava uma "mãe imperfeita" na lista da Martha...

para a mãe dorminhoca, café : )

bjo, Fouad!

myra disse...

lindas palavras, querida Carmen, beijos

Carmem Salazar disse...

se bem que já tinha a insone...

tonhOliveira disse...



Para a mãe natureza, um jardim!

Carmem Salazar disse...

lindo, Tonho! legal de enviar pra Martha esse teu comentário...

abç

Adrian Dorado disse...

Para la madre de todos los vicios:
la holgazanería en un geriátrico!!!

Carmem Salazar disse...

Myra, a Martha Medeiros é uma escritora gaúcha e seu trabalho tem repercussão nacional tanto em publicações em poesia e crônicas como em adaptações de seus textos para teatro. é colunista dos jornais Zero Hora (POA) e O Globo (RJ).
encontrei o livro aqui referido - o da Martha - quando estava comprando um outro livro p/ dar de presente, pelo dia das mães. resolvi postar o poema por considerá-lo singelo e delicado (e queria oferecer isto a minha mãe), além de um poema verbal "recheado" de poema visual.

beijos

Carmem Salazar disse...

Adrian, conheci a palavra "holgazanería"... : )

abç

myra disse...

lindo, digo outra vez, querida carmen, e obrigada pelo teu comentario, beijos